terça-feira, 22 de junho de 2010

Erro 404, conexão lenta, acho que é só trocar os cabos de acesso

Fico aqui a pensar
Será que meu pensamento pode mesmo estar
Querendo com tudo acabar
Se eu penso não esqueço
Se eu sinto esse apreço
Sem que possa assim parar
De em você, então pensar
Se é que é possivel esquecer
Aquele em que focalizo o bem querer
Já que com você não sei se ficarei
Ao menos o bem lhe desejarei
Segura assim, minha mão
Vem me abraça meu irmão
Pois se não posso de você esperar
O sentido oposto do meu pensar
Sentimento que poderia retornar
Não creio que meu carinho por ti
Irá apenas acabar...

A saudade não é a dor, é a espera da possibilidade

2 comentários:

Paulo Laurindo 22 de junho de 2010 09:29  

Um capítulo se encerra quando colocamos um ponto final. A saudade é só um gancho para o próximo.

Marcos 6 de julho de 2010 13:17  

Os cabos de acesso fazem de nós seres do desejo.
Desejo de linkar nossas histórias à estórias quaisquer.
Hoje quem se importa e quem com isso mais quer?
Honestamente não sei dizer.
Sei que pude me deparar, ao passo de um pensamento furtivo,
Daqueles esguios, cheios de fugas, sem cabeça nem pé,
E ao fim me perguntar: Esperança é coisa boa de se ter?
Para mim, é e não é.
Ao som da estória que nos fazem crer,
Pude em algumas páginas por sorte ler,
E sobre essa danadinha pouco mais conhecer.
Dizem, lá atrás, que como presente ao inimigo se fez,
O ceio doce de uma linda mulher.
Com ela, um baú de dotes, que nem abrir poderia se quer.
Como toda curiosidade humana,
Dessas que nos fazem buscar para crer,
Foi o desmando que se fez ver.
Do baú, todo infortúnio e moléstia, pôs-se a correr.
E no fundo, lá no fundo, como último recurso para se continuar a viver,
Ela, a esperança.
A esperança, como a última da morte,
É a que nos evita morrer,
E nela, enfim, encontrar mais forças para se viver.
Para mim, enquanto palavra viva, de certo é bem egoísta.
Para mim, enquanto sujeito de vida, esperança da certo.
As conexões... Ah! Esqueça.
Acesse você mesmo às tuas esperanças e faça delas algo mais que um último recurso da morte.
Derradeira entre viver e morrer, queres mesmo apelar à esperança, para conexões outras estabelecer?
Sem trivialidades, vamos ao que interessa, ter mais do que esperança é o que de fato te apreça.
Assim, vamos nos concentrar, não nos erros numerados, mas nos acertos à enumerar.

  © Blogger templates ProBlogger Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP